27 de out de 2009

4ª Oficina

Relatório 08 – Oficina 08
TP 04 – Unidades 15 e 16
Data: 09 e 10 de junho de 2009
Formador: Eneci de Aquino Pilar – Sinop/MT



Em nosso encontro anterior os cursistas solicitaram uma reunião com os formadores de Língua Portuguesa e Matemática para reivindicar mudanças na aplicação do Programa Gestar II. Na opinião dos cursistas, que expressaram suas angústias com relação a carga de atividades que precisam cumprir, continuar trabalhando duas unidades do caderno de Teoria e Prática a cada quinze dias é inviável. Para eles o fato de muitos não estarem conseguindo cumprir com suas tarefas de forma satisfatória justificaria uma alteração na estrutura do Programa.
A sugestão dos professores cursistas é que a partir do próximo encontro se trabalhe, não dias, mas uma unidade de estudos por encontro dentro do mesmo prazo de quinze dias, adequando o Programa a nossa realidade. Segundo eles essa mudança evitará que cursistas abandonem a formação, o que em alguns casos já está acontecendo.
Apesar de elogiarem a qualidade do material e reconhecer a importância da socialização nos encontros presenciais, alguns professores garantem ser muito difícil conciliar o tempo entre as atividades do Programa e a rotina na escola, principalmente para quem trabalha 40 horas por semana e ainda precisa se dedicar à família.
Diante da possibilidade da desistência de alguns cursistas levamos a proposta para ser analisada pela Coordenação Municipal do Gestar II que, diante do exposto, orientou para que se fizesse uma adequação na metodologia que contemplasse a realidade dos cursistas.
Portanto, nesse quarto encontro de estudos, após dar as boas-vindas aos cursistas, repassamos o posicionamento da Coordenação Municipal quanto às reivindicações do encontro anterior. Ficou definido que a partir da unidade 17 (TP5) estaremos trabalhando uma unidade de estudos, sendo esta a única mudança que se fará na estrutura do Programa. Conscientes que com essa alteração haverá um acréscimo no número de encontros presenciais, os cursistas disseram que é melhor aumentar o número de encontros do que ter que abandonar a formação.
Feitos esses repasses dei início às atividades da oficina oito. Para este encontro escolhi uma leitura que aborda a memória. Em Guilherme Augusto Araújo Fernandes, o autor Mem Fox retrata as aventuras de um menino que decidiu ajudar uma idosa a recuperar suas lembranças colocando em uma caixa alguns objetos que, ao serem visualizados, ativavam sua memória. Repassei o livro para os professores que teceram comentários sobre a necessidade de estarmos levando a nossos alunos textos ilustrativos que ativem o visual do aluno e desperte-o para a leitura.
Começamos nossa socialização com a professora Geisi relatou para os colegas as atividades que desenvolveu com seus alunos da EJA. Ela utilizou o avançando na prática da página 131, unidade 15. Com essa atividade a professora trabalhou a organização textual.
O gênero textual diário foi o escolhido pela professora Lílian para trabalhar com alunos do 2º segmento da EJA. Segundo ela a medida que a atividade foi se desenvolvendo os alunos iam perdendo a inibição e conseguiram realizar boas produções.
A proposta da oficina oito era desenvolver uma atividade com base em um anúncio de uma fundação que trabalha com crianças carentes. O objetivo era que os professores escrevessem um texto de propaganda apelativo com relação a imagem e depois planejassem uma atividade semelhante para seus alunos.A discussão em torno da proposta da oficina ficou comprometida em ração do pequeno número de participantes, o que dificultou o debate e a troca de sugestões para a aplicação da mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário